4 passos para usar o Arduino/ESP32 profissionalmente

Atualizado: Ago 12

Atualmente está se quebrando o paradigma de que não se pode usar o arduino ou ESP32 de maneira profissional, seja em projetos de automação residencial/industrial, eletrônica embarcada, internet das coisas, indústria 4.0 e inúmeras outras aplicações com estas tecnologias acessíveis.


Ou seja, é possível sim, usá-los e resolver inúmeros problemas reais, melhorar muitos processos ou mesmo, criar inovações com custos mais em conta.


Aconselhamos a seguir os 4 passos que organizamos para somar robustez e confiabilidade ao seu produto ou projeto. Lembrando que não há garantias de funcionamento, todo produto deve ser testado e validado nas condições reais em que será implementado. Isso também é um dica importante. Mais abaixo mostrarei alguns produtos e projetos que desenvolvemos seguindo isto que entregaremos gratuitamente para vocês! Vamos em frente!

Se você viu o blog da Crescer e os materiais estão fazendo sentido, avalie-nos no google para que possamos alcançar cada vez mais pessoas e as apoiar em seus projetos e produtos! Contamos com você!


Trazendo um exemplo prático, cito a Crescer Indústria de Automação, que existe a mais de 8 anos, e a 5 vem trazendo soluções para o mercado citado acima, ensinando, fazendo e fornecendo tecnologias acessíveis baseadas em arduino e ESP32.


Nos últimos 3 anos, foram mais de 15 projetos profissionais empregados nos mais variados segmentos, cito aqui alguns cases para vermos aonde podemos resolver problemas reais do nosso dia a dia:


Indústria:

Máquinas de calçado, injetoras de plástico, bobinadoras de filamento de impressão 3D, envasadoras de cola, equipamentos eletrônico e pneumáticos.


Agronegócio:

Monitoramento de cercas elétricas, monitoramento de silos de grãos, implementos de colheita de cana.


Varejo:

Varredora de escada rolante, acionador de smart lockers.


Saúde:

Equipamento de quiropraxia, monitoramento de autoclaves.


Com base nestas experiências, organizamos os 4 passos para usar o Arduino/ESP profissionalmente:


1 - Fonte robusta;

2- Circuitos de isolamento;

3 - Temporizador sem delay;

4 - Watchdog.


1 - FONTE ROBUSTA:


Ter uma fonte de qualidade é fundamental para mantermos o arduino/ESP em funcionamento contínuo. Tem casos que se faz necessário algumas fontes um pouco mais elaboradas, como aplicações do âmbito industrial. Vou deixar 3 exemplos de fontes mais comuns que utilizamos.

Após alguns modelos testados, para aplicações simples o modelo de número 1 atendeu, porém, para quando adicionamos mais circuitos de leituras e atuações ela comprometeu a qualidade dos sinais, então a modelo número 2 veio como uma ótima alternativa e custo-benefício.

Para aplicações industriais ou em ambientes eletromagneticamente nocivos indicamos a número 2 vide teste, e a 3 para uma "garantia" maior.

2 - CIRCUITOS DE ISOLAMENTO

Os circuitos de isolamento também são de extrema importância para mantermos o microcontrolador do Arduino/ESP32 isolados da parte externa, Esse circuito também isola a parte de potência da de sinal. O vídeo abaixo explica detalhadamente alguns pontos para você ter cuidado nos seus projetos.


3 - TEMPORIZADOR SEM DELAY

Para o seu código (software) ter uma performance interessante, você não pode ter comandos que o travam, como por exemplo o comando "delay()", neste comando o código fica preso nesta linha enquanto aguarda o tempo definido. Mas de fato, essas funções temporizadoras são necessárias e comumente utilizadas, para isso, a Crescer fez um biblioteca que o apoia neste quesito, ou seja, cria funções temporizadoras que não "travam" o seu código. Resultando então, em uma varredura contínua de linhas do seu software.

No vídeo abaixo explicamos detalhadamente como usar a biblioteca e criar softwares ainda mais excelentes.


Para ter outra visão de outro profissional que utiliza essa função. Tem o vídeo do Elias Donatti, da E2T Automação.


4 - WATCHDOG


Watchdog é uma função de software bem interessante que faz com que o microcontrolador reset sempre que ocorra algum travamanto na execução cíclica (loop) do software. Então mesmo se com todos os outros 3 passos sendo executados, em algum momento, a sua aplicação com arduino/ESP travar, essa função, programada no software, resetará o microntrolador fazendo-o retornar ao funcionamento.


4.1 Watchdog Arduino:



4.2 Watchdog ESP32:



E aí, o que acharam destes passos? Faz sentido para vocês? Quais passos julga necessário? Curte, comenta e compartilhe para teus contatos que usam Arduino e/ou ESP32.


Linkedin do Autor.


706 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo